Translator Disclaimer
1 August 2014 Physiological implications of landscape use by free-ranging maned wolves ( Chrysocyon brachyurus) in Brazil
Author Affiliations +
Abstract

Wide-ranging species with large spatial requirements can rarely be supported in protected areas alone, yet most species face greater threats outside reserves. The need to consider conservation of large mammals in landscape mosaics is very relevant to the Brazilian Cerrado, which is the world's most biologically diverse and threatened savanna. The maned wolf (Chrysocyon brachyurus), South America's largest canid, has been proposed as a flagship species for the Cerrado. The majority of the maned wolf's distribution overlaps croplands, whereas < 4% of its range overlaps with a protected area. To understand how landscape use influences maned wolf physiological health and likelihood of persistence, we collected scat samples (n = 974) from a 4,000-km2 area encompassing national park, cropland, cattle pasture, and remnant vegetation. From these samples, we measured fecal hormone metabolites of glucocorticoids (indicative of stress), thyroid hormone (indicative of nutritional status), and progesterone (indicative of reproductive health). Glucocorticoid metabolite concentrations increased with distance from natural habitat patches and during times of peak harvest activity. Thyroid hormone metabolite levels were higher in areas with more cropland, indicating good nutritional status. Progesterone metabolite levels in females were higher inside than outside the park, suggesting females residing in the park have higher reproductive success. Results indicate that maned wolves make extensive use of the landscape matrix and are able to tolerate modified agricultural fields despite being sensitive to disturbance. Ensuring their conservation for the long-term will require increased monitoring and incentivizing conservation on private lands that compose much of the Cerrado.

Espécies com grandes requerimentos de área raramente podem ser protegidas unicamente em unidades de conservação, pois muitas delas enfrentam significativas ameaças fora de tais espaços. A necessidade de se considerar a conservação de mamíferos de grande porte em mosaicos na paisagem é bastante relevante no Cerrado brasileiro, que é considerado a mais rica e ameaçada savana do planeta. O lobo-guará (Chrysocyon brachyurus), maior canídeo da América do Sul, tem sido considerado como uma bandeira de conservação para o Cerrado. A maior parte da distribuição do lobo-guará é sobreposta com áreas de cultivo, sendo menos de 4% efetivamente protegida. Com o intuito de investigar como o uso da paisagem influencia a saúde fisiológica do lobo-guará e sua probabilidade de persistência, coletamos amostras de fezes em uma área de 4.000 km2, que abrangeu um parque nacional, áreas de cultivo, pastagens e remanescentes de vegetação natural. A partir dessas amostras, mensuramos os níveis de glucocorticóides (indicadores de estress), hormônio tireoidiano (indicador do estado nutricional) e progesterona (indicadora da saúde reprodutiva). A concentração de glucocorticóide foi maior com o aumento da distância de áreas nativas e também com os picos de atividade de colheita da safra regional. Os níveis de hormônio tireoidiano foram maiores em áreas com cultivos, aspecto que indica uma melhor condição alimentar. O nível de progesterona das fêmeas foi mais elevado dentro do parque do que em seu entorno, sugerindo que as fêmeas dentro da unidade podem ter maior sucesso de reprodução. Os resultados indicam que o lobo-guará faz uso extensivo da matriz de paisagem e é capaz de tolerar áreas modificadas por cultivos, embora seja sensível aos eventos de perturbação. Assegurar que a espécie seja mantida a longo prazo requer um aumento no monitoramento e no estímulo à sua proteção em propriedades privadas, que compreendem a maior parte do Cerrado.

Carly Vynne, Rebecca K. Booth, and Samuel K. Wasser "Physiological implications of landscape use by free-ranging maned wolves ( Chrysocyon brachyurus) in Brazil," Journal of Mammalogy 95(4), (1 August 2014). https://doi.org/10.1644/12-MAMM-A-247
Received: 25 September 2012; Accepted: 1 February 2014; Published: 1 August 2014
JOURNAL ARTICLE
11 PAGES

This article is only available to subscribers.
It is not available for individual sale.
+ SAVE TO MY LIBRARY

SHARE
ARTICLE IMPACT
RIGHTS & PERMISSIONS
Get copyright permission
Back to Top