Translator Disclaimer
1 December 2000 Reproductive Biology of the Inseminating Glandulocaudine Diapoma speculiferum Cope (Teleostei: Characidae)
Author Affiliations +
Abstract

The reproductive period of the inseminating glandulocaudine Diapoma speculiferum was determined through the analysis of 133 males and 158 females obtained from monthly collections in Rio Grande do Sul, Brazil. The reproductive period is highly seasonal, occurring from September to February, which corresponds to the Austral spring and summer. Both male and female gonadosomatic indices were highly correlated with changes in water temperature and day length and, to a lesser extent, food availability. No correlation with rainfall was found. Absolute fecundity (mean 491.1 ± 159.5 oocytes per female) was similar to those found in two externally fertilizing cheirodontine characids but lower than that found in the inseminating glandulocaudine Pseudocorynopoma doriae. Relative fecundities (oocyte number per milligram total body weight) of the inseminating D. speculiferum and P. doriae were found to be lower than that of two externally fertilizing cheirodontines, suggesting that inseminating species may expend a smaller amount of energy in egg production, perhaps as a result of a higher efficiency in fertilization. Gonad histology showed the presence of spermatozoa in ovaries of maturing females, indicating that courtship and insemination take place before the ovaries are mature. Fertilized eggs were not found in the ovaries, suggesting that fertilization may be a very rapid event once oocytes are ovulated.

O período reprodutivo do glandulocaudíneo com inseminação, Diapoma speculiferum, foi determinado pela análise de 133 machos e 158 fêmeas obtidos em coletas mensais no Rio Grande do Sul, Brasil. Seu ciclo reprodutivo é sazonal ocorrendo de setembro a fevereiro, correspondendo á primavera e verão na região Austral. Para machos e fêmeas o índice gonadossomático foi altamente correlacionado com as mudanças na temperatura da água e fotoperíodo e, em menor extensão, com a disponibilidade de alimento. Quanto ao índice pluviométrico, não foi verificada nenhuma correlação. A média da fecundidade absoluta (491,1 ± 159,5 ovócitos por fêmea) foi semelhante a observada em dois queirodontíneos de fecundação externa, e menor do que o glandulocaudíneo com inseminação Pseudocorynopoma doriae. A fecundidade relativa (número de ovócitos por miligrama de peso total) dos glandulocaudíneos com inseminação D. speculiferum e P. doriae foi menor do que nos queirodontíneos com fertilização externa, sugerindo que espécies com inseminação tem um menor gasto energético na produção dos ovócitos, talvez como resultado de uma maior eficiência na fertilização. A histologia das gônadas demonstrou a presença de espermatozóides em ovários de fêmeas em maturação, indicando que a corte e inseminação iniciam antes dos ovários estarem maduros. Não foram encontrados ovos fertilizados nos ovários, sugerindo que a fertilização ocorra durante a ovulação.

The American Society of Ichthyologists and Herpetologists
Marco A. Azevedo, Luiz R. Malabarba, and Clarice B. Fialho "Reproductive Biology of the Inseminating Glandulocaudine Diapoma speculiferum Cope (Teleostei: Characidae)," Copeia 2000(4), 983-989, (1 December 2000). https://doi.org/10.1643/0045-8511(2000)000[0983:RBOTIG]2.0.CO;2
Accepted: 25 February 2000; Published: 1 December 2000
JOURNAL ARTICLE
7 PAGES


SHARE
ARTICLE IMPACT
RIGHTS & PERMISSIONS
Get copyright permission
Back to Top